Warning: Creating default object from empty value in /home/temasfo/public_html/psicopsi.com/pt/wp-content/plugins/auto-link/nusoap.php on line 55
  Psicanálise e Psicologia na teoria da personalidade: motivação e do conceito de unidade — Estudo da Psicanálise e psicologia

header image

Psicanálise e Psicologia na teoria da personalidade: motivação e do conceito de unidade

O conceito de unidade é a de que Freud usou a expressão hoje no conceito de motivação. Atualmente, uma importante linha das actuais teorias psicanalíticas não atribuir à idéia de que a organização da unidade humana é dupla. Já não detém a concepção de Freud, aliás típica do seu tempo, considerando que há uma ou duas unidades básicas de libido e auto-preservação, ou na teoria mais tarde, libido e agressão a partir do qual são derivadas de outras . A própria idéia de modularidade temos indicado está presente em neurociência (Gazzaniga, 1985), a psicologia cognitiva (Gardner, 1983), e da filosofia da mente (Fodor, 1983), a psicanálise tem sido aplicada ao campo motivação e da concepção pressupõe que existem vários sistemas distintos motivacionais, separados entre si. Vários autores têm trabalhado esta abordagem é cada vez mais estabelecido na teoria e na prática (Stern, 1985, Lichtenberg, 1992, Bleichmar, 1997). Esta mudança na concepção do aspecto motivacional humana tem sido muito proveitosa, uma vez que é preciso para superar muitas formas de reducionismo que estava caindo ao descrever patologias.
Com efeito, se cada escola teórica destaque uma unidade como a decisiva, tendia a ver dessa forma qualquer quadro clínico, foi apresentado, não dando margem de manobra para lidar com a enorme complexidade e diversidade dos seres humanos, também neste domínio, a motivação.
Ao longo da história da psicanálise, que abrange todo o século XX, cada autor em destaque um tipo de instinto como a base, se Freud enfatizou a sexualidade, destacou outros psicanalistas, como agressão (Klein, 1946), narcisismo ou auto-estima (Kohut, 1971) ou apego (Bowlby, 1979), e em cada caso, tendem a considerar que esta era a motivação mais importante, a hierarquia de base, a partir da qual as outras foram derivadas. O modelo de múltiplos sistemas motivacionais concebido, mas caso contrário, a questão, porque ele vê que essas múltiplas dimensões estão presentes em cada ser humano, mas têm forças diferentes, de desenvolvimento diferentes e também são interligadas levando a várias articulações e estruturas motivacionais, cada um de nós. Embora não tenha total acordo, mesmo entre os quais os sistemas básicos de motivação, o importante é mudar o modelo. Acredita-se que os diferentes sistemas de motivação usar diferentes tipos de desejos – de auto-preservação, sexual, narcisista, agressivo, apego, evasão de desagrado, e assim por diante. Por sua vez, a interação destes pode levar a dois jogos em vez de ser o mesmo, causando preocupações de vários tipos, que por sua vez, dão origem a um regime específico de defesa contra as ansiedades, as quais levam a caracterizar a personalidade específica cada.
Em suma, o novo conceito de múltiplos sistemas motivacionais distintos, mas relacionados e entrelaçados em diversas formas, desde sobresignificación sobre ter alguém envolvido até que o conflito entre eles, ou a expressão consciente e manifesto de um para esconder o desejo de que realmente corresponde outro, oferece um quadro explicativo mais em linha com a visão modular da mente, e identifica mais com um paradigma da complexidade (Morin, 1990) coerentes com o nosso tempo. A teoria clássica do instinto de Freud, profundamente marcado pela visão fisicalista do tempo, está sendo substituído. No entanto, a ênfase é que a psicanálise dá as motivações, especialmente inconsciente versus processos cognitivos como uma explicação causal do comportamento humano e atitudes. Mas, agora entendidas como sistemas de múltiplos e complexos de necessidades básicas universais compartilhados por todos os seres humanos, que estão moldando o desenvolvimento através da interação social. Neste sentido, a importância do fundamento biológico que estava presente na visão original freudiana diminuiu, dando origem a mais de natureza social, os motivos. Os diferentes sistemas de motivação estão dando origem a estruturas de personalidade diferentes, dependendo do desejo de favorecer, a maneira pela qual se manifesta um desejo, a intensidade da sua experiência, ou os conflitos que resultam na inter-relação uns com os outros. Pode-se dizer que, sem negar a importância das diferenças, reduz a diferença para as propostas teóricas da motivação vem da psicologia, mais focado no conceito de meta (Pervin, 1996).

If you liked my post, feel free to subscribe to my rss feeds